Buscar

Público: Ser vegetariano “é só para ricos”? Fomos às compras descobrir que “é mais um mito”

A alimentação vegetariana só é mais cara se incluir os ultraprocessados. Um estudo publicado na Lancet Planetary Health mostra que, nos países europeus, uma dieta sem produtos de origem animal permite “cortar até um terço na conta do supermercado”. Em Portugal, os produtos vegan “ainda são poucos e caros”.




Leite magro, pescada e carne de peru num dos carrinhos; bebida de soja, seitan e feijão vermelho no outro. Fomos às compras com duas listas no bolso e uma pergunta no ar: um dia a comer 100% vegetariano é mais caro do que um dia com alimentos de origem animal? A conclusão é nem carne nem peixe: a alimentação vegetariana pode ser mais barata, excepto quando colocamos os produtos processados no centro do prato.


Muitas vezes descrita como uma dieta elitista e pouco democrática, a alimentação vegetariana pode ser “nutricionalmente adequada” e “economicamente justa”, informa a Direcção-Geral da Saúde (DGS), tanto para a restauração colectiva como no consumo individual.


Para consultar a publicação na íntegra visite a página do Público.