[SUSTAINMEALS] Novos recursos interativos para uma alimentação mais sustentável

Descubra a pegada ecológica dos alimentos, conheça o seu potencial de mudança e saiba como pode agir



Definir o problema


Perante os importantes desafios de sustentabilidade, a alimentação surge como um importante terreno de mudança. De acordo com dados da FAO, organismo das Nações Unidas, a atividade pecuária pode representar cerca de 7.1 gigatoneladas de emissões de CO2, o que perfaz cerca de 14,5% de todas as emissões de gases com efeito estufa com origem na atividade humana. Entre as orientações para uma dieta mais sustentável, destacam-se a necessidade de fazer mais refeições de base vegetal e reduzir o consumo de carne e alimentos processados, reduzir o desperdício alimentar e aumentar o consumo de produtos locais e sazonais.


Em particular no que respeita os consumos de carne, os hábitos dos portugueses parecem em contraciclo com as recomendações. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística, em 2018, cada português consumiu uma média de 117 kg de carne, seguindo uma tendência de crescimento que se verifica de forma consistente, desde que há registo (mais 9,2 kg por pessoa do que em 2014).


1º Passo - Conhecer o impacto ambiental das escolhas alimentares


O desconhecimento quanto ao impacto ambiental das escolhas alimentares poderá ser um fator importante na manutenção de padrões alimentares desadequados. Por esse motivo, a investigação mais recente tem procurado reunir dados em larga escala, e envolvendo diferentes padrões de produção, com vista a orientar os consumidores para escolhas mais sustentáveis. A boa notícia é que esta informação já está ao alcance de todos, de forma simples e interativa. Se quiser conhecer a pegada ecológica dos alimentos que consome no seu dia-a-dia, experimente a nossa calculadora, clicando na imagem acima ou através deste link.


A calculadora que lhe apresentamos permite-lhe avaliar o impacto ambiental de diferentes fontes de proteína, animal e vegetal. Os valores resultam de uma meta-análise que envolveu 570 estudos e cerca de 38700 unidades de produção em 119 países (Poore & Nemecek, 2018). Para calcular a pegada ecológica dos alimentos, foram considerados os critérios de utilização do solo e de água, libertação de substâncias acidificantes e eutrofizantes e emissão de gases com efeito estufa.


2º Passo - Conhecer o seu potencial de mudança



Conhecer o problema é essencial para encontrar soluções, mas a informação por si só pode revelar-se insuficiente. A investigação mostra que a mudança de hábitos e práticas depende de três fatores: da Capacidade física e psicológica para levar a cabo o comportamento, das Oportunidades oferecidas pelo meio físico e social, e da necessidade ou desejo de mudar, ou seja, da Motivação.


Com o objetivo de o ajudar no seu propósito de fazer mais refeições de base vegetal, desenvolvemos o Quiz de potencial de mudança. Este breve questionário é composto por 9 itens que lhe permitirão compreender o seu grau global de prontidão para mudar. Para além disso, irá receber uma pontuação detalhada nas dimensões de Capacidade, Oportunidade e Motivação. Estes resultados permitir-lhe-ão definir quais as suas principais forças e/ou aspetos a melhorar. No final, explore ainda as dicas sobre como agir face a cada uma destas dimensões.


Para experimentar, clique na imagem acima ou siga este link.


3º Passo - Pronto para mudar? Descubra a que sabe a sustentabilidade.


Se já conhece o problema e o seu potencial para fazer parte da solução, finalize com um pouco de inspiração. Preparámos algumas receitas simples e rápidas para o ajudar a preparar refeições mais sustentáveis. Veja abaixo as nossas sugestões.